...

terça-feira, 21 de julho de 2009

"Eis que te digo..." (2)

Penso que algumas coisas precisam ser levadas em conta ao ouvirmos profecias.

Primeiramente é preciso verificar se existe coerência entre discurso e vida.

A mula falante da história de Balaão não é uma regra e sim exceção, portanto sair por aí ouvindo mulas é um tremendo absurdo.

A vida de quem fala em nome de Deus precisa preceder suas profecias.
Vale ressaltar que analisar não tem absolutamente nada a ver com julgar.

Sejamos como os crentes de Beréia.

3 comentários:

Amanda Gaspar disse...

disse tudo.

Rafa Tomacheusk disse...

Pois é...pena que nem todos pensam assim...

contrasenso disse...

Josué, Josué... que coisa bacana encontrar um blogue seu. Muito interessante. Cá estamos na blogosfera. Abraço.