...

terça-feira, 26 de junho de 2012

Despero Existencial


E de repente você abre o olho e precisa viver. Porém não só viver, como também ter sucesso, alcançar determinados patamares, corresponder às expectativas, ser feliz, ser um ser humano exemplar.


Mas como? Como assim? Eu não decidi estar aqui, não tive escolha; quando me dei conta o cronometro estava valendo, e pra piorar, jogando contra mim.

Eu sei, estou sendo extremamente prepotente, ingrato e outras tantas coisas, ao falar o que acabei de dizer. Desconsidere, por favor... isso é só um desabafo. Gemidos de uma alma cansada de seu desespero existencial.


Hoje é um daqueles dias onde gostaria de jogar tudo para o alto. TUDO! Dar a mim mesmo a chance de desistir, jogar a toalha, deixar cair.


Quase cheguei la, quase deu certo, quase consegui, foi por pouco! Quase!

Sou o quase, e como já dizia uma música, o quase não é nada.


Vejo olhares de desprezo, reprovação e apatia. Dane-se, não me importo mais. Alias, com o que me importo?

As luzes piscam, a batida hipnotiza, minha mente embriagada se entrega à uma sensação de sentido. Parece que por um momento o mundo não tem dores, não há injustiças, ódio, doenças... não existe o vazio. É como se temporariamente eu tocasse o paraíso, ou talvez mais profundo do que isso, como se ele entrasse nas minhas veias, e a cada batida do coração inundasse todo meu corpo. É um paraíso artificial, concordo, mas não deixa de ser paraíso.


O fato de saber que estou errado, só piora as coisas. A culpa me esmaga e mais uma vez entro no ciclo da fuga.

Estou cansado... não quero mais querer essas coisas.


Ouvi eles falarem que existe Esperança, e acredito!

E se um dia eu não der conta definitivamente da realidade, saiba: nunca deixei de acreditar! Nem um segundo sequer. Existe Esperança!

4 comentários:

Anônimo disse...

Gostei..bem o que a alma as vezes tenta falar e ngm escuta...

parabens

Anônimo disse...

Desabafo interessante, é engraçado como colocamos peso e materializamos sentimentos e desejos em algo tão forte e concreto ao ponto de pesar fisicamente em cima nós.Quando da verdade são só ações que podemos ou não realizar. Só não entendi muito a culpa.

Anônimo disse...

Bem profundo que dá vontade de gritar... é bom colocarmos pra fora o que está nos matando por dentro, talvez alivie, talvez não... o importante é desabafar...
Mas é verdade, há sim esperança... não desista... acredito que um dia a esperança e a felicidade vai bater de novo a sua porta e você vai abrir para elas entrarem... torço sempre para que isso aconteça.
Abraços de uma pessoa que gosta muito de você e lhe deseja o bem...

Kezzia Cristina Silva disse...

Ufa! Não sou a única? Bem talvez sejamos poucos com a disposição de gritar! Existem cálices que precisam ser bebidos até a última gota. Ao sentir o gosto amargo da vida, você sabe que tem sabor.Bem, talvez amanhã haja vinho novo né, eu quero.