...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

FRUTIFICAR = GANHAR ALMAS?

Não é raro ouvirmos o clero falando sobre o fato de que devemos dar frutos, devemos trazer pessoas para Jesus (embora, até onde eu saiba nosso chamado é o ide e não o vinde), nossas células precisam dar frutos, nós precisamos dar frutos... e por aí vai. Sermões sobre esse tema são ministrados, estudos de célula são preparados afim de fortalecer esse ensino, horas de discipulado são investidas para que alguém consiga dar o tão desejado fruto. Mas eu me pergunto: - Que bendito fruto é esse?
A Bíblia Sagrada nos fala bastante sobre o assunto, vejamos o que ela tem a nos ensinar.
2 Co. 9:10 – “Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come, também lhes suprirá e multiplicará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça”.
Fl. 1:9-11 – “Esta é a minha oração: Que o amor de vocês aumente cada vez mais em conhecimento e em toda a percepção, para discernirem o que é melhor, a fim de serem puros e irrepreensíveis até o dia de Cristo, cheios do fruto da justiça, fruto que vem por meio de Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus”.
Mt. 3:8 – “Dêem fruto que mostre o arrependimento”!
João 15:1-17 fala mais sobre frutos. Vamos nos ater a alguns versículos apenas.
v.5 – “Eu sou a videira; vocês os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma.”.
v.8 – “Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muitos frutos; e assim serão meus discípulos”.
v.16 e 17 – Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça, a fim de que o Pai lhes conceda o que pedirem em meu nome. Este é o meu mandamento: Amem-se uns aos outros”.

Interessante... Onde esta a relação entre dar fruto e ganhar ‘almas’? Parece que biblicamente não existe esta relação. Ou seja, dar frutos agora é parte dos jargões bonitos, porém sem bases que utilizamos no nosso espiritualóide crentês vazio e hipócrita.
Todos os textos mostram com clareza que a palavra fruto esta ligada diretamente a caráter, a ação. Em João 15, vemos implicitamente, que o fruto que Deus espera de nós é a obediência a seu mandamento, e o seu mandamento é que amemos ao próximo. O fruto é o amor.
Mas pelo visto não estamos interessados em falar de caráter, de qualidade, mas sim de quantidade. Demos à palavra fruto e ao verbo frutificar um significado mais conveniente aos nossos interesses. E como somos bons cristãos, enlatamos Deus e a Bíblia para se adequarem as nossas mentiras, e assim elas se tornam espiritualmente aceitáveis por um povo que não sabe pensar, e que diz amém para tudo que dizem em nome de Deus.
Gl. 5:22 e 23 – “Mas o fruto do Espírito é amor, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei”.
O mundo esta faminto, clamando por algo que o preencha!
As pessoas ao nosso redor estão famintas! E do que elas têm fome?
É fome de paz, é fome de amor. O mundo tem fome de justiça, de bondade, de amabilidade. A humanidade clama por tudo isso!
E segundo as escrituras, essas coisas são os nossos verdadeiros frutos! Esses são os frutos que devemos dar, ou melhor dizendo, já deveríamos estar dando. Porém se existe carência de amor, de paz, de domínio próprio, de mansidão, de amabilidade, de bondade, de fidelidade, de paciência no mundo em que vivemos e na vida das pessoas ao nosso redor, a culpa é NOSSA!
Você e eu temos tantos relatórios para preencher, tantas metas a alcançar, tantas programações, tantos eventos, tantos “frutos humanos” para dar, que não estamos dando o fruto que interessa para Deus. Alias, o interesse de Deus que se adéqüe a nossa agenda, afinal de contas é para isso que Ele serve, né? Para abençoar aquilo que fazemos. Enfim...
Estamos mais preocupados em manter a fachada do que em mudar nosso coração.
Só os super-crentes espiritualóides sobrevivem! Os fracos, oprimidos e pecadores, não! Mal sabia Darwin que uma de suas leis seria aplicada na igreja cristã. Então, por uma questão de sobrevivência espiritual imposta pelo clero, muitos estão se submetendo a terríveis abusos espirituais e a uma absurda hipocrisia, para dar os frutos que agradem o ego de suas lideranças.
Não precisamos disso! Isso é uma tremenda heresia! Somos preciosos não pelo que somos capazes de produzir, mas sim pelo simples fato de sermos feito a imagem e semelhança de Deus! Nada do que façamos, irá fazer Deus nos amar mais do que Ele já nos ama.
A vida cristã é uma seqüencia de atos e conseqüências: Permanecemos em Jesus, conforme João 15, conseqüentemente somos preenchidos por Ele e por sua Palavra. Essa palavra nos transforma de dentro pra fora. Temos nosso caráter mudado, nossa mente renovada, nos tornamos cada vez mais parecidos com o Mestre. O fruto da nossa vida é apenas a seqüencia natural dos fatos. Nossas atitudes serão conformes as descritas em Gálatas 5:22 e 23. As pessoas ao nosso redor serão impactadas no convívio diário conosco. Não precisaremos de grandes esforços, basta sermos nós mesmos.
Será que o fruto da sua vida sacia a fome da humanidade? Será que hoje, o que você é como pessoa, aproxima os que estão a sua volta de Deus?
Qual é o seu fruto?

4 comentários:

Bruna disse...

amei!!!! muito bom!!
profeta Josué! Essa é a realidade que estamos vivendo..a igreja absorveu completamente os valores do mundo...se importa mais com resultados e quantidade, do que a vida em si...

Graças a Deus que temos o nosso maior exemplo: Jesus!!


Parabéns pelo blog!!

Dia-a-Dia disse...

nusss!!!!!!!!!
amei amigoo


Continue pensandoooo

Unknown disse...

Qual a finalidade do evangelho ? Salvação certo ? Ganhar almas isso n é da fruto não ? Seguindo o caráter de cristo q n veio fazer sua vontade mais a do pai

thais gonçalves disse...

Qual a finalidade do evangelho ? Salvação certo ? Ganhar almas isso n é da fruto não ? Seguindo o caráter de cristo q n veio fazer sua vontade mais a do pai