...

domingo, 30 de novembro de 2008

ILUSIONISTAS DA FÉ




O relógio marca 1:30 da manhã, e aqui estou eu zapeando os canais da televisão em busca de alguma coisa interessante pra ver. A essa altura corro o risco de deparar com algum tipo de pornografia, tenho que tomar cuidado. Mas quando menos espero, me deparo com algo pior. Sim, algo pior! O que seria mais nojento e perigoso do que pornografia?
A pornografia é descarada, é errada e nem disfarça. Ta na cara que é pecado!

Perigoso mesmo são as coisas que se parecem com verdade, dizem ser verdade, são ensinadas como verdade, no entanto não são verdade.
Como um tipo de epidemia, assisto pasmo, a canais diversos com uma programação bem parecida: um suposto pregador, pregando suas proezas pessoais, para uma platéia que daria seus órgãos internos para alcançar a benção desejada.

Algumas vezes, também é possível ouvi-los falar sobre prosperidade, cura, prosperidade, libertação, prosperidade, bênçãos e por último, mas não menos importante, prosperidade.

Outra coisa muito peculiar de se ver são os encerramentos dos programas em questão. Parece combinado entre eles. Números de telefones aparecem na tela, olhares iguais ao do gato do Sherek, e um mesmo pedido, a saber, grana. Sim, eles precisam das nossas ofertas para continuarem nos abençoando com seus programas televisivos. Então para honra e glória de algum deus, nós temos que ofertar à eles.

Mas o que há de errado afinal? Deus não quer que sejamos curados, libertos, prósperos e abençoados? A Bíblia não fala sobre essas coisas?
Sim, mas não só sobre essas coisas. A verdade não pode ser incompleta.

Alguns pontos importantes para refletirmos:

1) Marcos 16:17,18 – “Estes sinais acompanharão os que crerem: em meu nome expulsarão demônios, falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal nenhum; imporão as mãos sobre os doentes, e estes ficarão curados”.

Primeira coisa para se pensar é que se você é crente, nascido de novo, este texto é pra você!

Nós, cristãos, nascidos de novo, não precisamos correr atrás dos sinais. Os sinais que correm atrás da gente, eles que nos acompanham.

2) Mateus 7:21,22 – “Nem todo aquele que me diz: ’Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aqueles que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: “Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres? Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês que praticam o mal”!

Muita gente faz muita coisa, fala muita coisa e impressiona. Biblicamente isso não significa nada!

O versículo 16a fala “Vocês os reconhecerão por seus frutos”. Como já vimos anteriormente, frutos tem a ver com caráter.

Lata vazia faz muito barulho, de nada vale maravilhas se não existe caráter. Não se deixe enganar pelas aparências.

3) Isaías 58:6–9a – “O jejum que desejo não é este: soltar as correntes da injustiça, desatar as cordas do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e romper todo jugo? Não é partilhar sua comida com o faminto, abrigar o pobre desamparado, vestir o nu que você encontrou, e não recusar ajuda ao próximo? Aí sim, a sua luz irromperá como a alvorada, e prontamente surgirá a sua cura; a sua retidão irá adiante de você, e a gloria do Senhor estará na sua retaguarda. Aí sim, você clamará ao Senhor e ele responderá; você gritará por socorro, e Ele dirá: Aqui estou”.


Você quer ser curado? Você quer ser socorrido pelo Senhor? Então pratique o verdadeiro jejum.

Somos curados à medida que soltamos as correntes da injustiça, desatamos as cordas do jugo, colocamos em liberdade os oprimidos, partilhamos nossa comida com o faminto, abrigamos o pobre desamparado, vestimos o nu e ajudamos o próximo.

A Verdade bíblica é clara e simples: todos somos iguais no Reino de Deus, você não precisa de fulano ou siclano para ser curado. Os sinais acompanham os que crêem!
Por outro lado, milagres não simbolizam caráter. Caráter é mais importante que a realização de maravilhas.
E somos curados quando paramos de olhar para nosso próprio umbigo e nos tornamos o milagre para os necessitados.

Como diz o pastor Macio Valadão, ‘nós não tropeçamos em montanhas, mas sim nas pequenas pedras’. Quando abrimos mão de “detalhes” fundamentais em prol dos resultados, perdemos a essência do cristianismo. Um pouco de fermento leveda toda massa.

Vivemos na era dos mega templos, dos grandes palcos, das multidões, dos ilusionistas da fé, que são os donos do espetáculo. Época em que a simplicidade das crianças não é mais bem vinda.

Mas para onde estamos indo? Aonde iremos chegar? Jesus anunciava as boas novas dessa forma?

O cristianismo não é circo, não há lugar para palhaços.

2 comentários:

Anônimo disse...

eita!!!!!!!!!!!
fortíssimo!! qt ipocrisia na igreja né...mas Jesus está voltando e por isso tem levantado jovens doidos q nem vc pra denunciar esse tipo de coisa!!

benção d+...
bruna

Juliana disse...

É verdade isso.
É triste pois nem sequer falam de Deus....